Naming

Naming: Como escolher o nome para a tua marca

O que é Naming?

O que é Naming?

Naming, ou em português Nomear, “dar nome a”. É o processo da criação de um nome para uma marca. Existem várias categorias de nomes que podem ajudar na decisão. No entanto, esta decisão deve ser feita estrategicamente, tendo em conta o público-alvo e a identidade da própria marca.

Antes de escolher o nome

Escolher o nome não pode ser o primeiro passo na criação de uma marca. Antes de escolheres um nome, deves definir o público alvo da marca, bem como, a personalidade e a forma como a marca comunicar.

Antes de passar ao processo de naming, deves responder a estas questões:

  • Qual é a identidade da minha marca, e porque ela existe?
  • Com quem é que a minha marca vai comunicar?
  • O que é que a minha marca tem diferente das restantes?
  • Quais são os valores da minha marca?
  • Que emoções quero causar na minha audiência?

As respostas a estas perguntas vão ajudar-te a perceber quais os tipos de nomes que mais se identificam com a tua marca, e vão servir de base para toda a pesquisa e brainstorming ao longo deste processo.

Quando comecei o processo de pesquisa do nome para a minha marca, já tinha em mente as respostas a estas questões, o que me ajudou a perceber o que eu queria, e acima de tudo o que eu não queria.

Queria que a minha marca tivesse uma identidade fresca e criativa, e por isso não queria algo super descritivo. Também sabia que não queria usar o meu nome, porque quem sabe se isto não vai ser um sucesso, e um dia mais tarde, quero ter mais pessoas a trabalhar comigo na minha marca.


Tipos de Naming

Nome do fundador

Utilizar o nome do fundador ou do criador da marca. A identidade da marca é criada à volta de uma pessoa, e é associada à personalidade e valores dessa mesma pessoa.

A maior vantagem de escolheres o teu nome para a tua marca, é que não tens de perder mais tempo a pensar nisso. Outra vantagem é que é facilmente memorável, para tornar mais descritivo, podes associar a área em que trabalhas ao teu nome, por exemplo, se trabalhas na área de design “Maria Design”.

A maior desvantagem de ter uma marca com um nome é que torna a expansão do negócio mais difícil. Imagina que queres criar uma equipa ou associar-te a alguém, poderás ter de mudar o nome da marca. Ou até, se um dia mais tarde quiseres vender a marca, pode ser uma dificuldade, ou os novos donos podem direcionar o negócio de uma forma que não queres, e estará sempre associado a ti através do nome.

Exemplos de grandes marcas com nomes de fundadores são a Valentino (Valentino Garavani) e Harley Davidson (William Harley e Arthur Davidson).

Descritivo

Nomes descritivos transmitem exatamente a identidade da marca, é também relativamente fácil encontrar um nome, baseando-te nas características do teu negócio. Esta é uma grande vantagem, as marcas com nomes descritivos comunicam claramente o que fazem, e o seu público percebe facilmente os serviços, ou produtos, da marca.

Uma grande desvantagem dos nomes descritivos é que, caso queiras expandir para outros serviços ou produtos, que não se alinhem com o nome inicial, pode não ser um sucesso por não estarem relacionados com o que as pessoas associam à marca.

Exemplos de marcas com nomes descritivos são a Body shop e a Toys R Us.

Inventado

Se não nasce, inventa! Inventar uma ou mais palavras para um nome não é facil, pois deves ter sempre em mesmo que, mesmo inventado, deve ser um nome memorável e que seja fácil de pronunciar.

No entanto, o facto de não existir nenhum outro nome igual, é uma vantagem, tanto a nível de disponibilidade, mas também porque estás a começar algo novo livre de conotações negativas.

Estar a começar algo do zero também pode ser uma desvantagem. No início terás de investir muito tempo, e em campanhas de marketing, para que as pessoas construam uma imagem associativa da identidade da tua marca com a nova palavra.

A Kodak e o Twitter são exemplos de marcas com palavras inventadas.

Uma curiosidade a origem do nome da marca Kodak, o fundador sabia que queria que começasse pela letra K, pois achava que era uma letra forte. Ele e a sua mãe criaram o nome Kodak, através de um jogo de palavras, tendo sempre em mente que deveria ser curto, facilmente pronunciável e não se parecer com nada que já existisse.

Metafórico

Nomes que são baseados em metáforas para transmitir a identidade da marca. Estas metáforas são excelentes para construir uma história para a marca, tendo em conta as suas características principais.

A associação de marcas a metáforas, e a histórias com significado, torna as marcas muito relevantes e fortemente relacionáveis, o que é, à partida uma vantagem.

Pode no entanto, ser difícil encontrar um nome disponível. Eu queria que o nome da minha marca tivesse origem numa história forte e simbólica, lembro-me de percorrer listas infindáveis de história e mitologia, até listas de reis e rainhas de Portugal! Foi uma desvantagem, pois a disponibilidade de nomes metafóricos é muito reduzida.

A Nike escolheu o seu nome na mitologia grega, de uma palavra que significa “vitória”. A Jaguar associou-se a este felino poderoso e rápido, como a identidade dos carros da marca.

Acrónimo

Nomes acrónimos, aparentemente, são conjuntos de letras maiúsculas não relacionadas. No entanto, geralmente são versões curtas de nomes descritivos ou de fundadores.

Os acrónimos podem ter uma vantagem estratégica, para que não sejam nomes tão descritivos, então podes utilizar as siglas.

No entanto este tipo de nomes tem uma enorme desvantagem, são difíceis de memorizar e precisam de um enorme investimento inicial para que o nome seja associado à identidade da marca. Hoje em dia, este tipo de nomes deve ser evitado, porque não são impactantes e podem ser confusos para a audiência.

Exemplos de marcas com acrónimos são a KFC (Kentucky Fried Chicken) e DKNY (Donna Karan New York)

Erros ortográficos

Nomes que têm erros ortográficos propositadamente, já te tinhas apercebido?

A mente humana tende a memorizar mais facilmente erros do que coisas perfeitas. Utilizar nomes com erros pode ser uma estratégia, para que se torne uma marca memorável.

O Flickr e Tumblr deixaram cair as vogais para se diferenciarem.

Combinação

Combinação de duas ou mais palavras para formar um nome. Habitualmente são a junção de duas palavras descritivas, características da identidade da marca.

Esta categoria de nomes torna a marca fácil de identificar, e consequentemente, fácil de se conectar com o seu público.

O Facebook fez uma combinação perfeita para o seu nome não é verdade?


Características que o nome da tua marca deve ter

O processo de naming é demorado e complexo. Eu achei que foi a etapa mais complexa e stressante, na criação da minha marca.

Na hora de escolheres o nome para a tua marca, deves ter em atenção as seguintes características:

  • Memorável e fácil de pronunciar. Deve ser único e chamar a atenção, deve ficar na cabeça.
  • Impactante e com significado positivo. O nome deve estar alinhado com a imagem que a marca quer transmitir.
  • Não muito longo. Um nome muito longo não é prático.
  • Versátil. Deves ter em atenção, se quiseres expandir a tua marca, não deve ser um nome limitado a um produto ou serviço.

Escolhe um nome único para a tua marca

No processo da escolha do nome para a tua marca, tens de verificar se não existem já marcas com nomes semelhantes ou iguais.

Podes pesquisar os nomes, e verificar se não existem marcas semelhantes, registadas no site do INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), neste link.


Conclusão

A escolha do nome para a tua marca é uma etapa muito importante, e por isso deve ser feita estrategicamente, com a identidade e valores da marca sempre presentes.

Mas atenção, um excelente nome não transforma serviços ou produtos medíocres, mas excelentes serviços e produtos podem elevar um nome que aparentemente não é nada extraordinário.


Queres definir uma estratégia para a tua marca?


Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *