Love Brands

O que são Love Brands?

Vamos falar de histórias de amor, amor entre pessoas e marcas. As Love Brands, têm como prioridade a conexão com a sua audiência. Esta preocupação atrai, e cria uma relação de lealdade com os seus consumidores, ao ponto de se tornarem fãs.

Mas afinal, o que devemos aprender com as Love Brands?

O que são love brands?

Love Brands, são marcas amadas pelos consumidores. Marcas com personalidade, que têm um propósito bem definido e transmitem os seus valores em todas as suas acções. Esta presença atrai, e cria conexões com pessoas que se identificam com a marca, e mais do que clientes, têm fãs que seguem e defendem a marca.

Quais são as vantagens de ter uma Love Brand?

As Love Brands não se preocupam com a concorrência, nem com preços ou promoções atrativas. O seu principal foco é ter uma relação emocional com os seus consumidores. Assim, todas as suas decisões, e acções, têm como objetivo fortalecer essa relação.

Os consumidores que amam estas marcas, escolhem os seus produtos, ou serviços, sem olhar para o preço que têm de pagar por isso. Por exemplo, os fãs da Apple que não se importam de pagar mais por um computador, porque se identificam com a essência e a imagem da marca.

Para estas marcas, a lealdade por parte dos seus fãs, cria estabilidade no negócio. Elas apenas precisam cumprir as expectativas dos consumidores, e manter a consistência, enfim até parece fácil.

Os clientes também passam a ser promotores da marca. Como têm uma conexão tão forte com os produtos, ou serviços, recomendam aos amigos e familiares, ou melhor ainda, nas redes sociais.

Internamente, as Love Brands têm tendência a atrair colaboradores motivados. A contratação de pessoas que se identificam com a própria identidade da marca, reflete-se na qualidade do serviço prestado.

O que aprender com as Love Brands?

A principal lição a tirar, é o foco no cliente e em criar experiências emocionais. Estes princípios podem, e devem, ser aplicados a qualquer negócio, quer sejam pequenas empresas, ou gigantes.

Ter personalidade

Para ser uma marca amada, é necessário definir o seu ADN, isto é, o branding interno: o propósito, a visão, a missão e os valores, são os pilares de uma Love Brand.

Posteriormente deve-se criar uma personalidade para a marca. Tal como nas pessoas, as características humanas tornam a marca mais relacionável, e familiar.

O branding interno e a personalidade, são transmitidos em todos os pontos de comunicação, ações e decisões da marca.

Foco no consumidor

Tal como já mencionei anteriormente, estas marcas têm forte preocupação com as necessidades e desejos do cliente. Nesse sentido, há um trabalho de pesquisa e análise profundo, para perceber e atender, da melhor forma os seus consumidores. Desde a comunicação nas redes sociais, ao atendimento e pós venda, há um cuidado em criar experiências positivas.

Sobretudo têm um atendimento de excelência, independentemente do meio, quer seja por email, chat ou telefone. Até mesmo no pós venda, ou na resolução de eventuais problemas, tentam criar empatia com os seus clientes, e tornar a situação o mais agradável possível.

Sê uma inspiração

As marcas podem também representar um estilo de vida, e desta forma inspirar pessoas que se identificam com esse estilo de vida.

Por exemplo a Nike, inspira todas as pessoas a enfrentar os seus medos, superar obstáculos e a alcançar vitórias. Ou até mesmo a Apple, que representa um estilo de vida criativo e inovador, e quem compra, alinha-se com este lifestyle, e quer demonstra-lo ao mundo.

Há também marcas que incentivam e têm clubes de fãs. Estes são grupos de pessoas que partilham a paixão pela marca, e que se juntam para trocarem ideias e até especular novidades. Claro que não é possível para todos os negócios tradicionais, mas para marcas de entretenimento e desporto, é muito comum.

Comunicação

As marcas amadas, transmitem emoções, proximidade e princípios através da sua comunicação. Ao falarem na mesma língua que os seus fãs (expressões e tom de voz), e estando presentes quase diariamente nas suas vidas, essencialmente através das redes sociais, têm como resultado conexões e relações muito fortes com a sua audiência.

Cultura da marca

Tal como as pessoas, estas marcas têm princípios e valores, pelos quais guiam o seu comportamento. Na prática, as marcas demonstram estes valores, de forma transparente na sua comunicação, e nas suas acções. Transmitem e liberdade, inovação, sustentabilidade, felicidade, entre outros.

A cultura da marca, e a partilha de valores com os consumidores, conecta e fortalece as suas relações.

Marketing emocional

As ações de marketing puramente focadas em vendas são do passado. Uma estratégia de marketing baseada em criar experiências, e em evocar sentimentos nas pessoas que alcançam, é uma componente forte no sucesso destas marcas.

Quem nunca se emocionou com um anúncio da Coca-Cola? Ao despertar sentimentos de nostalgia, felicidade, empatia ou até liberdade, estas ações de marketing encantam os consumidores, e aproximam-os dos seus produtos sem sequer falar em vendas.

Exemplos de Love Brands

Netflix

Já reparaste que a Netflix até personaliza a página inicial da plataforma, consoante os teus gostos? Como se tivesse sido feita exclusivamente a pensar em ti.

Assim como nas redes sociais, mantém um diálogo muito próximo dos seus seguidores. Com uma comunicação leve e divertida, a marca cativa e relaciona-se com a sua audiência. Por exemplo, marca datas comemorativas, com posts que provocam emoções e reações.

Lego

A Lego é uma das marcas mais amadas do mundo. Acima de tudo, é uma marca que tem as crianças como exemplo, mas também está no coração, e nas mãos, dos adultos. Não só estimula a criatividade e diversão, mas também nos faz lembrar dos tempos da nossa infância.

Harley Davidson

Outra marca amada é a Harley Davidson, que promove uma cultura de liberdade e aventura. Certamente que quem adquire uma mota desta marca sente-se parte de uma comunidade. Aliás, a própria marca tem um clube que integra todos os novos clientes.

Conclusão

Em conclusão, construir uma marca com os princípios de uma Love Brand, é um grande passo na direção do sucesso. No entanto, criar e nutrir relações é um processo de consistência, e não acontece de um dia para o outro.

Em todos os pontos de comunicação, deves sempre ter em mente que queres transmitir a personalidade da tua marca, e evocar emoções nas pessoas.


Queres criar o ADN da tua marca, e torná-la uma Love Brand?


Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *